A voz da experiência

Uma vez que no sábado só eu, o Wagner e o Marcelo jogamos do início ao fim, é com enorme orgulho e prazer que posso me dizer um dos três mais experientes jogadores de bike polo em atividade no Brasil.

E no alto dessa minha vasta sabedoria (de um único dia) e modéstia, julgo meu dever moral orientar os mais jovens para que eles possam trilhar um longo e feliz caminho dentro desta tão nobre arte.

Marcelo

Marcelo no contra ataque

Regra número um: todo mundo sai ralado.

Não teve um que não caiu pelo menos meia dúzia de vezes. Teve nego que luxou o ombro, mas ninguém perdeu dente ou fraturou osso. Acho que fui o único a usar capacete e vou usar nas próximas vezes.

Quem deixar de usar luvas merece o título de imbecil. Pro próximo jogo providenciarei luvas que cubram totalmente os dedos.

Wagner

Wagneta preparando o bote

Regra número dois: as bikes também sofrem.

Idiotas com bastões na mão são algo que costumam causar algum estrago. Some a isso um espaço apertado e a vontade de ganhar, voí là: muitos encontrões, nego metendo a roda na parede e marretas voadoras.

Eu consegui a proeza de entortar um aro da minha própria bike. (Por favor, não tentem imaginar a jogada)

Rodas soltas são benvindas, mas não venham reclamar que estouraram seu câmbio.

Eu no gol
Muralha na defesa

Regra número três: freestyle é bichisse perto do bike polo.

As rodas soltas realmente são benvindas, mas imagino que quando o pessoal de fixa pegar o jeito da coisa, vai ficar pequeno pra concorrência. O jogo exige um controle incrível. O maior track stand da minha vida foi protegendo o gol. Não usei o freio nenhuma vez, foi tudo no pezão mesmo. Conseguir pedalar pra trás é uma grande vantagem.

Com certeza existem outras regras básicas de sobrevivência e conforto, mas vou deixar um pouco para os outros dinossauros.

E o principal, a regra zero: é muito divertido!

Anúncios

13 Responses to A voz da experiência

  1. masterfix disse:

    caraca. preciso dar uma photoshopada na minha barriga.

  2. rafa rodolfo disse:

    será que dá jeito???

  3. masterfix disse:

    Depois que deram jeito na Hortência na Playboy, acredito em tudo.

  4. Juliano disse:

    logo logo eu to nessa, posso montar uma fixa bem tosca, pra por no batente

  5. juca pyrama disse:

    e essa &*%$#@ dessa marreta nao entra nos raios dos outros durante o jogo nao?

  6. masterfix disse:

    claro que sim, mas aí os outros que se f–m.

  7. masterfix disse:

    brincadeirinhaaaaaaa, chuchucos

  8. Sílvio disse:

    Hahahahaha, que se f-m mesmo. É cada um por si.

  9. Sílvio disse:

    Mentira. É um jogo de lords.

  10. Wagner disse:

    Falou Sir Silvio.

  11. […] o primeiro relato disso no FixaSampa  As primeiras fotos feitas por mim, Aline Cavalcante, hoje integrante da Liga […]

  12. […] o querido Silvio Tambara, também dos primórdios do esporte.Veja o primeiro relato disso no FixaSampa  As primeiras fotos feitas por mim, Aline Cavalcante, hoje integrante da Liga FemininaParabéns a […]

  13. […] em blogs datam que o Bike Polo chegou em São Paulo em 2009, quando um grupo de amigos, após experimentar o esporte fora do Brasil, decidiu trazer a novidade e incorporá-la à nossa […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: